Tudo o que você precisa saber sobre amamentação

7 minutos para ler

A amamentação é considerada uma das formas mais importantes e mágicas de conexão entre mãe e filho. É uma relação de doação e uma troca intensa que a mãe poderá vivenciar, se assim desejar, além de ser importante para o desenvolvimento do bebê, pelo seu potencial nutritivo e por proteger contra diversas doenças.

Normalmente, nos partos fisiológicos ou naturais, a amamentação acontece mais facilmente. Entretanto, muitas vezes, há muito para se descobrir e aprender, e as primeiras semanas podem ser bastante desafiadoras.

Vamos falar abertamente sobre o assunto? Quanto mais você souber sobre a amamentação, maiores as chances de esse ser um momento mais tranquilo e confortável para a mamãe e o bebê! Acompanhe!

A amamentação nas primeiras semanas

Nos primeiros dias após o nascimento do bebê, os seios produzem o chamado colostro. É um líquido espesso, amarelado, que já deve estar presente nas últimas semanas de gestação.

Considerado rico em nutrientes, o colostro contém grandes quantidades de anticorpos que vão fortalecer o sistema imunológico do seu bebê para, no futuro, protegê-lo das bactérias e do meio ambiente. Além disso, ele tem uma propriedade laxativa, que auxilia no funcionamento digestivo do neném, preparando-o para absorver o leite durante os próximos dias.

A importância da amamentação

Segundo o Ministério da Saúde, o aleitamento materno exclusivo até 6 meses de idade é o mais recomendado para a saúde do seu bebê, além de trazer inúmeros benefícios para a saúde da mãe. Isso significa que, até completar 6 meses, o seu bebê deve ingerir apenas o seu leite, nem mesmo água.

Após esse período, você poderá escolher entre desmamá-lo, acrescentar fórmulas complementares ou fazer a introdução alimentar. Conheça os benefícios.

Para o bebê

Seu pequeno terá a saúde física e emocional reforçada com o aleitamento materno:

  • fortalece o seu sistema imunológico;
  • fortalece o vínculo entre mãe e bebê;
  • previne problemas respiratórios, como asma, bronquite, entre outros;
  • auxilia no bom funcionamento digestivo e intestinal do bebê;
  • a sucção ajuda no desenvolvimento da arcada dentária do neném;
  • previne anemia e deficiências de ferro;
  • auxilia na cura de resfriados e pequenas infecções, por ser uma forma de conectar os sistemas imunológicos da mãe e do bebê.

Para a mamãe

As mulheres também são beneficiadas pela amamentação:

  • auxilia na recuperação e cicatrização do útero no pós-parto, ajudando a voltar ao tamanho normal mais rapidamente;
  • reduz o risco de hemorragia e anemia após o parto;
  • ajuda na redução mais rápida de seu peso para retornar ao anterior;
  • reduz o risco de câncer de mama e ovários no futuro;
  • fortalece os vínculos com o bebê por meio da liberação de hormônios;
  • é seguro, prático e higiênico, pois seu leite estará sempre pronto e fresco para alimentar o seu neném.

Nos primeiros 6 meses, se o seu bebê estiver saudável e você puder oferecer seu leite, será o suficiente para ele ter toda a nutrição necessária para se desenvolver.

As melhores práticas ligadas à amamentação

Você poderá escolher a forma e a frequência para dar de mamar ao seu neném, estipulando horários certos para cada mamada ou fazendo livre demanda. Nesse caso, seu bebê poderá mamar quando e quanto sentir necessidade.

Algumas dicas para uma boa amamentação: 

  • ao dar de mamar, caso não esvazie um peito durante a mamada, retorne ao mesmo peito na próxima;
  • teste algumas posições que sejam confortáveis para você e o seu bebê, sentando-se com o tronco erguido, em uma cadeira, na cama ou deitada, caso o seu parto tenha sido cesária;
  • almofadas próprias para amamentação podem ajudar a posicionar o bebê;
  • deixe seu bebê mamar até ficar satisfeito, pois cada pequeno tem seu tempo próprio para ficar satisfeito. Depois, as mamadas ficarão mais curtas e o intervalo entre elas será maior;
  • não utilize sabonete nas mamas;
  • deixe os seios tomarem um pouco de ar e luz do sol (amena) entre as mamadas, antes de colocar o sutiã, e prefira usar sutiãs especiais para amamentação, com abertura na frente;
  • use cremes e produtos especiais, caso aconteçam rachaduras nos mamilos;
  • utilize absorventes descartáveis ou laváveis e troque-os com frequência;
  • tenha cuidado ao tirar o bebê do seu seio, tente não interromper a sucção no meio.

A bomba elétrica para tirar o leite pode ser útil nos primeiros dias, caso tenha excesso e queira deixar de estoque para os momentos que precisar sair sem o bebê ou retornar ao trabalho. Busque ajuda de um especialista ou pediatra para auxiliar, caso passe por dificuldades durante a amamentação.

Compressas e massagens podem trazer conforto e facilitar a amamentação. Acima de tudo, a melhor posição para amamentar deve ser aquela que você e o seu bebê se sintam confortáveis e seja prazerosa para vocês dois. Ela deve garantir que o seu bebê fique virado para você, junto de seu corpo, bem apoiado e com os braços livres.

Cada bebê tem seu próprio ritmo de mamar, e é importante que isso seja respeitado para que ele consiga mamar até ficar satisfeito. O leite da amamentação, além dos seus inúmeros benefícios, tem duas características: o inicial é mais diluído e tem propriedades diferentes do final, que é mais gorduroso. Portanto, é importante que seu filho mame até o fim, esperando que uma mama esvazie bem antes de oferecer a outra.

No início da mamada, o bebê tende a sugar com mais força porque está com fome. Isso pode esvaziar mais rápido a primeira mama, o que é natural. Mas se for necessário tirar o bebê do seu peito, para que você consiga soltar o mamilo sem machucá-lo, coloque o dedo mínimo no cantinho da boca do bebê, entre as gengivas, para que ele solte devagar.

Depois da mamada, coloque seu bebê na posição vertical, para que ele consiga arrotar. Procure evitar o uso de mamadeiras e chupetas, pois elas interferem no desenvolvimento da dentição e da fala. Evite, também, o uso de bebidas alcoólicas e cigarros durante o período de amamentação, e busque uma alimentação equilibrada e saudável.

Aproveite esse momento, converse com seu filho, faça carinho e dê atenção a ele. Essa é uma oportunidade incrível de criar conexão com o seu bebê. Nenhum alimento é tão completo quanto o leite materno e, se as circunstâncias permitirem, você poderá amamentar o seu filho até o momento que achar necessário e se sentir confortável.

Mantenha sempre por perto um pediatra e pessoas que possam auxiliar você durante a prazerosa e desafiadora jornada da amamentação. Tire todas as suas dúvidas sempre para que possam aproveitar ao máximo um ao outro durante esse período.

O que achou das nossas dicas? Deixe um comentário no post para que possamos trocar experiências sobre a amamentação!

Posts relacionados

Deixe um comentário