Aos papais: veja como lidar com os desafios da paternidade

6 minutos para ler

Evidentemente, a chegada de um bebê é algo vivido de forma muito intensa pelas mamães. Mas como isso reverbera nos pais? Quais são os desafios da paternidade? Como o homem vivencia isso e qual o seu papel nessa jornada? 

Assim como acontece com as mulheres, as repostas para essas perguntas são amplas e variam muito de acordo com cada pai. Mas há diversos fatores comuns a se prestar atenção enquanto pai ou companheiro da gestante.

Vamos conversar sobre os desafios da paternidade? Continue com a leitura para saber mais!

Como ser pai durante a gravidez?

O mais importante é você estar próximo da sua mulher e participar o máximo que puder. Acolha todas as transformações e dificuldades pelas quais ela está passando e tente compreender as necessidades e questões da gravidez.

Além do amor e do companheirismo, a informação e o conhecimento serão seus maiores aliados para enfrentar os desafios da paternidade. Isso significa que você deve dedicar tempo para estudar e entender melhor o processo pelo qual a sua mulher está vivendo, assim como começar a se preparar para tudo que envolverá a chegada de um filho e os cuidados necessários nos primeiros meses de vida.

É essencial que você participe de tudo que for possível: decisões em relação ao parto, preparação do enxoval, amamentação, idas ao médico, realização de exames e cuidados com bebê. Mas também saiba respeitar os espaços e decisões que são exclusivos da mulher. Afinal, é ela que está gestando a criança e passando por intensas transformações físicas e emocionais.

Mais que responsabilidades, a paternidade apresenta ao homem uma grande oportunidade de transformação e crescimento. É o momento em que poderá demonstrar todo seu amor e empatia, e aprofundar a maneira como lida com as emoções — o que, em geral, é uma dificuldade masculina em nossa sociedade.

Quais são os desafios da paternidade no pós-parto e como auxiliar? 

Após todos os desafios da gestação e do parto, o período que vem logo após, o puerpério, é ainda mais desafiador para o casal, e principalmente, para a mulher. Entenda que após 9 meses de gravidez, ela ainda está lidando com enormes mudanças hormonais e constantes transformações no corpo. Tudo isso influencia nas emoções vividas por ela. Portanto, seja acolhedor e prestativo.

Algumas mulheres enfrentam sentimentos intensos de melancolia e solidão nesse período, que pode durar semanas e até meses, mas isso é considerado normal e tende a reduzir. Não confunda puerpério com depressão pós-parto — esse sim é um quadro mais grave, que deve ser tratado junto à família e com acompanhamento médico.

O pós-parto é um momento sensível e de grandes mudanças. Afinal, um novo integrante da família acaba de chegar e todos estão se conhecendo. É o início de uma nova dinâmica, e também de uma experiência linda e transformadora.

Como ficam os desafios do papai em cuidar do neném?

De agora em diante, mas principalmente nos primeiros meses e anos do seu bebê, a quantidade de descobertas e desafios pode ser gigantesca para você e sua companheira. Infelizmente, a licença paternidade ainda é muito curta na maior parte dos casos, mas, se você tiver a oportunidade de esticar esse período, não hesite em aproveitar a oportunidade. Isso fará toda a diferença para você e para a mulher.

Também é uma oportunidade única de estreitar os laços desde cedo com seu filhinho. Naturalmente, a mulher está incumbida de mais tarefas essenciais, como a amamentação, que é um dos pontos mais sensíveis nos primeiros meses. Acompanhe de perto esse processo e entenda como você pode contribuir.

É fundamental que você não fique disponível apenas ao se deparar com pedidos de ajuda, e sim que seja proativo. Realize atividades diárias, como dar banho, trocar fraldas, colocar o neném para dormir, e claro, brincar, que também é fundamental para o desenvolvimento da criança.

É inevitável que, às vezes, vocês se sintam exaustos ou até mesmo irritados, e nessas horas é preciso ter calma. O que pode ajudar muito é contar com redes de apoio compostas por amigos, parentes e conhecidos, sempre que possível.

Mas então, o que é ser pai?

Tornar-se pai é uma experiência repleta de descobrimentos e transformações, da mesma maneira que é se tornar mãe. Isso significa que não é algo que acontece da noite pro dia, e sim em uma constante jornada de aprendizados e renovações internas, que criam espaço para sentir e receber amor do seu filho.

Historicamente, há muitos padrões pré-estabelecidos, que colocam a mãe como a cuidadora de todas as necessidades físicas e emocionais da criança e o pai como o provedor dos recursos materiais necessários para isso acontecer. Felizmente, esses padrões têm mudado bastante.

Por outro lado, ainda é fácil cair na zona de conforto na qual muitos pais se colocam, deixando a maioria das responsabilidades para a mulher. Além de ser injusto com sua parceira, essa é uma maneira triste e limitada de enxergar e vivenciar a paternidade e a construção de uma família.

Dentre as inúmeras experiências da vida, talvez nenhuma seja tão bonita e valiosa quanto a de amar um filho. Então, não se deixe levar pela correria e viva cada momento com intensidade e entrega. Dedique tempo e presença de qualidade à sua mulher e ao bebê. Com certeza, você vai viver uma das maiores felicidades que um ser humano pode ter: a de constituir uma família.

Talvez, um dos principais desafios da paternidade seja apoiar a sua companheira sempre que necessário. Não crie, no entanto, uma expectativa de jornada perfeita. Afinal, cada passo dado em relação à criação dos filhos está acompanhado de erros e acertos.

Está prestes a ser pai e quer ficar por dentro de mais conteúdos relevantes para ajudar nessa experiência? Assine a nossa newsletter!

Posts relacionados

Deixe um comentário