Pós-parto: entenda o que esperar e os cuidados necessários

5 minutos para ler

O período após o nascimento do bebê é chamado de puerpério. Começa logo após o parto e segue por 6 meses ou até o retorno da menstruação. Também é conhecido como o período de resguardo ou quarentena da mulher que acabou de dar à luz.

Esse período exige cuidados especiais, pois a mãe estará se recuperando do parto, tenha ele sido natural ou por cesárea. Seu corpo terá passado por muitas alterações hormonais e físicas. Emocionalmente e fisicamente, a gestação e o parto também são intensos.

Entenda o que é esperado no pós-parto e os cuidados que essa fase necessita!

Períneo

Caso você tenha optado pelo parto vaginal, pode ser que você passe por alguma fissura ou laceração no momento da saída da cabeça do neném pela sua vagina (coroação). Por isso, em alguns casos, o seu médico poderá realizar uma sutura (pequenos pontos) no local anestesiado.

Caso isso ocorra, serão necessários alguns cuidados especiais para auxiliar na sua cicatrização, como uso de pomadas, banhos de assento e compressas de gelo. Também é recomendado o uso de calcinhas de algodão, além de buscar manter o local sempre seco e higienizado (para evitar infecções).

Em alguns casos, o médico pode indicar a prática de alguns exercícios específicos para a região (Kengel ou fisioterapia pélvica). O objetivo é o fortalecimento da musculatura pélvica, acelerando a recuperação.

Corrimento ou Lóquio

Conforme seu útero vai retornando ao tamanho, volume e peso normais, seu organismo vai liberar líquidos de sangue chamados lóquios. Basicamente, são perdas de sangue que ocorrem naturalmente após o parto e duram até quatro semanas.

Esse corrimento se dá devido ao processo de cicatrização do local onde estava presa a placenta e da eliminação do tecido que revestia o útero. Você deve notar o corrimento sanguíneo vaginal de cor vermelha já nos dois dias após o parto, similar à menstruação.

Com o tempo, esse corrimento deverá diminuir e ganhar outras colorações. Ele se tornará marrom escuro, depois, rosa claro, até alcançar uma cor branca, sinalizando que a cicatrização do útero chegou ao fim.

Durante esse processo, é fundamental evitar relações sexuais, limpar a região duas vezes ao dia, utilizar toalhas delicadas, evitar absorventes internos e trocar o absorvente externo com frequência, prevenindo a proliferação de bactérias. Caso sinta dores ao sentar, é recomendado utilizar almofadas para maior conforto.

Mamas

Os seios também merecem atenção especial durante os cinco primeiros dias pós-parto, principalmente, se for a primeira amamentação. Após o nascimento do bebê, as mamas podem se tornar mais volumosas e densas devido à descida do leite (ou apojadura).

Durante essa fase de descida do leite, não é recomendado fazer compressa ou o uso de bombas de sucção. Massagens com hidratantes e óleos vegetais podem trazer sensação de alívio. Caso os seios estejam muito cheios de leite e seu neném não esteja dando conta de tudo, é possível drenar o que sobrou com uma bombinha.

Incisão

Caso seu parto tenha sido por cesárea, demanda ainda mais atenção aos cuidados. Deve ser tratado como cicatriz cirúrgica, sendo necessário o uso de medicamentos analgésicos, caso sinta dores nas região do corte e dos pontos. O tempo de cicatrização varia de mulher para mulher (de 40 dias a dois meses).

O seu médico deverá avaliar quando é o momento ideal para retirada dos pontos. Porém, mesmo após isso, é importante seguir alguns cuidados em casa, como curativos, limpeza frequente para evitar infecções e uso de pomadas cicatrizantes.

Dores na região do corte, vermelhidão e coceira podem acontecer. Por isso, procure sempre relatar e manter seu médico informado sobre a evolução da cicatrização. Nas primeiras semanas do pós- parto, sua atenção estará muito dirigida ao bebê e aos cuidados com ele.

Baby Blues

Apesar de não haver uma explicação científica para a causa do baby blues, muitas mulheres relatam passar por uma fase melancólica e triste alguns dias após o parto. São sintomas como sensibilidade, insegurança, insônia, irritação e vontade de chorar, que podem estar associados às drásticas alterações hormonais que a mulher passa após dar à luz.

Essa sensação costuma ser passageira e está mais relacionada às mudanças físicas e emocionais vivenciadas em curto período de tempo. Não pode ser considerada ou diagnosticada como depressão pós-parto, condição clínica diferente do baby blues, e que demanda acompanhamentos específicos de psicólogos e psiquiatras.

É importante lembrar que, nessa fase, você precisará de muito descanso, de uma dieta nutritiva e de suporte nas tarefas domésticas, paralelas aos cuidados com o neném. Todo apoio será necessário, portanto, é importante que seu companheiro, familiares e amigos próximos estejam disponíveis para qualquer tipo de ajuda que permita a você descansar sempre que possível e desfrutar do seu neném.

Vale a pena buscar acompanhamento psicológico, tanto no pré-natal quanto no pós-parto. Esse autocuidado é fundamental para que você consiga aproveitar a maternidade com mais prazer, oferecendo mais tranquilidade nos cuidados com o recém-nascido.

Quer ficar por dentro de outras informações importantes para as mamães, papais e bebês? Assine a nossa newsletter e receba nossos conteúdos em sua caixa de entrada de emails!

Posts relacionados

Deixe um comentário