Conheça o que é e qual a importância da rede de apoio na maternidade

6 minutos para ler

A maternidade é uma experiência sonhada por muitas mulheres, e cada uma tem seu jeito próprio de desejar, planejar e se tornar mãe. Assim, ser mulher e vivenciar a maternidade é uma realização única e múltipla. As experiências são diversas e cheias de altos e baixos, desafios e alegrias.

Há um ditado africano que diz “é preciso uma comunidade inteira para educar uma criança”, e essa é uma verdade que os pais vão compreender logo cedo. Apesar das diversas experiências com a maternidade, o que toda mãe tem em comum é o fato de que, uma hora ou outra, vai precisar de ajuda!

É para isso que serve a tão falada rede de apoio! Quer entender melhor esse conceito e como ele vai ajudar você nessa jornada de criação do seu filho? Continue a leitura!

O que é rede de apoio?

Criar um filho sozinha é uma realidade de muitas mulheres, mas não se pode romantizar a força de superar o desafio que é educar uma criança por si só. Precisamos de apoio, suporte e cuidado, seja lá qual for o seu contexto de vida. Então, saber pedir ajuda é algo que você terá que aprender a fazer.

Principalmente nos primeiros meses, a maternidade é intensa e exige dedicação integral da mãe. A amamentação pode ser especialmente desafiadora. Contar com uma rede de apoio com amigas, outras mães e familiares pode ser fundamental para superar os desafios e fortalecer a relação entre você e seu bebê.

Você também vai precisar de ajuda em todas as atividades que não estão relacionadas diretamente à amamentação, como tarefas do lar, alimentação e organização da casa, até mesmo para ficar disponível para coisas básicas, como tomar banho, ir ao banheiro e descansar. Sua prioridade será sempre alimentar e dar amor para o seu pequeno. Portanto, todo o resto precisa ser compartilhado com outras pessoas, principalmente com seu parceiro.

Como a rede de apoio funciona?

Uma rede de apoio nada mais é do que ter pessoas próximas, nas quais você confie e que transmitam segurança. Esse círculo deve ser composto por figuras que compreendam os desafios relacionados à maternidade e às quais você possa pedir qualquer tipo de ajuda quando for preciso.

Idealmente, a rede de apoio é formada por amigas, avós e familiares. Mas hoje em dia há diversos espaços especialmente criados para troca de experiências maternas, com conversas em que as mulheres tiram dúvidas e discutem questões da maternidade, acolhendo umas às outras no enfrentamento de momentos difíceis.

Esses espaços podem ser virtuais, como grupos e fóruns na internet, ou presenciais, como rodas de conversas e encontros periódicos. A coisa mais importante que uma rede de apoio deve considerar é o cuidado com a mãe antes de tudo, ou seja, em compreender as necessidades e questões maternas, para que ela, então, esteja confiante e bem preparada emocionalmente e fisicamente para cuidar do seu bebê.

A rede de apoio nasce a partir das necessidades que as mães de primeira viagem vão apresentar ao longo dos meses. Com ela, os vínculos criados entre familiares, amigos novos e antigos são fortalecidos, fazendo com que a maternidade se torne uma jornada transformadora, cheia de descobertas especiais.

O que fazer para cuidar de si mesma ao ser mãe de um bebê?

Para além da rede de suporte, é importante que você tenha cuidado com o seu próprio processo de se tornar mãe. Cuidar de si mesma é essencial para levar uma vida feliz, o que, por sua vez, é tudo que seus filhos mais precisam.

Na correria do dia a dia e com os cuidados com o seu bebê, parece meio impossível que você encontre tempo para olhar para si mesma, mas é fundamental. Veja algumas dicas.

Não se cobre tanto 

Seu filho não precisa de uma mãe perfeita, e vamos ser sinceras: mesmo que você faça tudo de forma absolutamente correta, sempre terá alguém para criticar. Não faça o mesmo, tente silenciar sua autocrítica. Você está fazendo o melhor que pode dentro das circunstâncias que você tem, e isso é suficiente para o seu filho.

Não se compare

Cada mulher é única, vive de formas diferentes e tem históricos distintos. Encontre a sua própria maneira de fazer as coisas. Se a forma como você age está funcionando e faz você e seu filho felizes, essa é a melhor maneira!

Encontre tempo para cuidar de si

Tenha algumas horas longe do seu filho, apenas com você mesma, para cuidar do seu corpo, mente, espírito, e o que achar importante para sua saúde. Ir à academia, encontrar amigos, fazer as unhas ou uma máscara facial, ir ao médico, namorar ou, simplesmente, não fazer nada. Mães também são merecedoras de tempo livre.

Compartilhe tarefas

Você não dará conta de tudo e seu companheiro deve estar ao seu lado na divisão equilibrada das funções que envolvem o cuidado do filho. Funções domésticas, idas ao médico, preparo da alimentação para você e seu filho não devem ser apenas sua responsabilidade. Integre as pessoas nas tarefas do dia a dia.

Acolha-se

Não se culpe, reduza o autojulgamento, pratique o autoperdão. Aceite quem você é e não se preocupe com o que os outros vão pensar. Reconheça toda a trajetória percorrida e celebre suas conquistas. Em vez de criticar sua autoimagem, agradeça seu corpo por permitir viver a única e mágica experiência que é a maternidade.

Agora é com você… ao seu tempo, vá criando maneiras e ferramentas que possam dar suporte para a criação do seu filho. Com o tempo e a prática, ser mãe se tornará um aprendizado cada vez mais leve e gostoso para você e sua família. Crie a sua rede de apoio, cercando-se de pessoas compreensivas e que entendam as suas dificuldades. E, claro, que estejam à disposição quando for necessário.

Gostou do artigo? Que tal mostrar para as pessoas que convivem com você a importância de criar uma rede de apoio no seu entorno? Compartilhe o post em suas redes sociais! Pode ser o início de uma boa conversa sobre o assunto!

Posts relacionados

Deixe um comentário