Conheça os tipos de testes de gravidez

6 minutos para ler

Se tornar mãe é passar por novas descobertas. A jornada, geralmente, começa com os testes de gravidez que, com o resultado positivo, nos confirmam que um novo baby está a caminho. Não vamos negar: as emoções já começam aí!

Para algumas mulheres, no entanto, esse é um momento de incertezas, já que, com o tanto de diferentes testes de gravidez que existem, fica difícil saber qual deles vale mais a pena.

A seguir, explicamos melhor sobre as principais diferenças. Acompanhe!

Quais são os principais tipos de testes de gravidez?

São 3 os mais usados ultimamente!

1. Teste de farmácia

Esse é o mais conhecido e, geralmente, o mais prático, já que pode ser facilmente encontrado e não necessita de pedido médico. Há várias marcas, e os valores variam da faixa de R$10 a R$100. Podem existir variações quanto à sensibilidade do teste, a depender do laboratório que o fabricou.

Na prática, os testes de farmácia medem a quantidade de hormônio hCG na urina. Alguns conseguem detectar a presença a partir de 20 IU/L, enquanto outros apenas acima de 50 IU/L. Para fazer o teste, é só colocar a tira em contato com a urina e esperar o tempo indicado na embalagem.

Dica: ao comprar, verifique se o produto tem o selo de qualidade da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). Também tenha atenção com a data de validade, combinado?

É possível dar falso negativo?

A eficácia do teste fica entre 95% e 99%, mas os médicos recomendam que ele seja feito apenas após o atraso menstrual, já que realizado muito cedo pode ocasionar um falso negativo. Também é importante não ter a urina muito diluída, então o ideal é evitar diuréticos no dia ou dar preferência pelo primeiro xixi da manhã. Se você desconfia do resultado, repetir o teste pode ser uma boa!

2. Exame de sangue

Esse é feito a partir da coleta de sangue. Assim, além de ser necessário ir a um laboratório, é preciso ter o pedido médico, que pode ser solicitado por um clínico geral. Esse exame costuma ser coberto pelo convênio e, no particular, sai por volta de R$50, dependendo da cidade.

O resultado sai em 1 hora. Ele é um pouco mais preciso que o de urina, pois consegue avaliar o hormônio beta-hCG a partir de 5 mIU/mL.

Outro benefício desse teste é dar uma estimativa do tempo de gestação, já que, nesses primeiros meses, a quantidade do beta-hCG aumenta a cada semana.

É possível dar falso negativo?

Só se for realizado muito cedo. No entanto, como o exame consegue detectar o hormônio em níveis baixos, isso não é comum. Já o falso positivo também existe e pode acontecer na presença de tumores ovarianos ou de origem embrionária.

E o que é o beta-hCG?

É um hormônio derivado do hCG, produzido pela placenta, que tem a função de manter a gestação. Também auxilia na produção de progesterona, que é responsável por preparar a parede do útero para implantar o óvulo fecundado, na fase conhecida como nidação.

Curiosidade: valores muito altos podem indicar uma gestação gemelar. Mas por volta da 12ª semana de gravidez, o nível do beta-hCG cai, já que nessa época começa a aumentar a progesterona.

3. Exame pélvico

Esse é o exame feito no consultório médico, com a ajuda do ultrassom. Nele, são analisadas as transformações dos órgãos reprodutivos, como ovários, útero e trompas de Falópio.

O ultrassom é ligado a um computador, que mostra na tela a imagem do embrião em formação. De todos os testes, esse costuma ser o mais preciso no resultado, além de definir melhor o tempo da gravidez.

Outra vantagem do exame pélvico é que avalia a formação do bebê, verifica a existência de múltipla gestação e faz uma previsão para o dia do parto. Ele é o início do pré-natal e, caso o médico desconfie de algum problema, pode solicitar exames complementares.

Por outro lado, tende a ser o mais custoso, principalmente se você optar por realizá-lo em 4D; pode ser encontrado por até R$600.

É possível dar falso negativo?

O falso negativo do exame pélvico existe sim, mas apenas se for realizado precocemente e se a pessoa que fizer o exame não tiver muito preparo. Isso pode acontecer porque, até a 5ª semana, o saco gestacional anda não se formou, o que pode dificultar a visualização. No entanto, um profissional habilidoso não terá dificuldades nisso.

Qual desses testes é o melhor?

Houve uma época em que o teste de farmácia não era recomendado, já que sua precisão era baixa. Atualmente, ele está mais avançado, então pode, tranquilamente, confirmar a gestação.

Mas é preciso saber que grande parte dos médicos ainda prefere o de sangue, até porque ele é quantitativo e consegue identificar a quantidade de hormônio, que é uma contagem importante para dar início aos outros exames.

Existe algum outro tipo de teste?

Segundo a crença popular, há o teste da pasta de dente, do vinagre e da água sanitária; também há testes online. No entanto, nenhum deles tem comprovação científica, sendo assim, o ideal é optar pelos de eficácia conhecida, combinado?

Quando fazer o teste de gravidez?

A menstruação atrasou. Será que já dá para fazer o teste? Normalmente, os primeiros sintomas já são indicativos: inchaço nos seios, dor de cabeça e sonolência. Mas, claro, fazer o teste gravidez é essencial, inclusive para iniciar o pré-natal. O tempo recomendado é:

  • exame de urina: 5 dias após o atraso menstrual, ou 15 dias após a concepção;
  • exame de sangue: 12 dias após a concepção;
  • exame pélvico: a qualquer momento.

Como vimos, são três tipos de testes de gravidez que contam com eficácia reconhecida: teste de farmácia, exame de sangue e exame pélvico. Eles são bons e podem entregar um resultado confiável, principalmente se feitos respeitando o tempo indicado. De qualquer forma, se você descobrir um resultado positivo, precisa fazer o acompanhamento médico, está bem? Ele é imprescindível para tudo correr bem com o desenvolvimento do bebê!

Gostou de conhecer um pouco mais sobre os testes de gravidez? Então, temos certeza de que você vai adorar ler nosso guia completo da gestante: dos sintomas de gravidez à chegada do bebê!

Posts relacionados

Deixe um comentário