Umbigo do bebê: tire suas dúvidas e entenda quais cuidados tomar

6 minutos para ler

Os primeiros dias do bebê em casa são uma novidade para a família, ainda que não sejam pais de primeira viagem. A rotina precisa ser adaptada, e se inicia uma série de medidas para assegurar o bem-estar e a saúde do pequeno, incluindo os cuidados com o umbigo do bebê.

As dúvidas sobre esse tema são muito comuns, afinal, estamos falando de uma região delicada. Por isso, é preciso cuidar do jeito certo para que o umbigo se solte de uma forma natural, sem nenhum tipo de complicação.

A Dra. Ivani Mancini, pediatra e apresentadora do podcast Pediatracast, trouxe algumas informações e recomendações importantes sobre esse assunto. Continue lendo para entender como cuidar do umbigo do recém-nascido e em qual momento é necessário buscar a ajuda de um especialista.

O que acontece com o umbigo do bebê no primeiro mês de vida?

Segundo Ivani, “durante a gestação, o cordão umbilical, através de suas duas artérias e uma veia, fornece os nutrientes e o oxigênio para o bebê que está se desenvolvendo. Após o nascimento, o cordão umbilical deixa de ser necessário, sendo então clampeado e cortado”.

Resta apenas o toco umbilical, que passa por algumas mudanças nos dias seguintes. A tendência é que se solte, deixando apenas o umbigo do bebê. Ocorre uma alteração em sua tonalidade, que antes era amarelo-esverdeado e se tornará preta. Também ficará mais rígido porque aos poucos ele seca.

Quando já estiver totalmente seco, o coto vai se desprender da sua base. Esse processo acontece gradativamente e dura cerca de duas semanas. Em alguns casos pode se soltar antes desse tempo.

Quais são os cuidados com o umbigo do bebê assim que chegar a casa?

Logo após o nascimento, o recém-nascido recebe toda a atenção inicial para verificar se não há nenhum problema com sua formação e saúde. Realizará testes na maternidade e terá todos os cuidados necessários para ir pela primeira vez para sua casa.

Quando já estiver lá, precisará de muita atenção também. O umbigo do bebê precisa receber cuidados porque existe o risco de complicação. Embora isso seja mais difícil, podem ocorrer infecções no local.

Os pais precisam observar se o coto está secando e se soltando, pois atrasos nesse processo podem indicar problemas. Inclusive, algumas medidas são importantes para que essa soltura aconteça com naturalidade. Veja a seguir os cuidados com o recém-nascido nessa fase.

Higiene do umbigo do bebê

Não existe segredo na hora de fazer a higienização do umbigo do bebê. Ela deve ser realizada durante o banho usando apenas água e sabonete. Ele deve ser aplicado apenas com as mãos e de uma forma delicada, para fazer uma limpeza suave da região.

Aplicação de álcool

É bastante comum a aplicação de álcool 70% no umbigo do bebê para fazer a desinfecção do local. No entanto, essa medida não é recomendada porque o álcool elimina bactérias benéficas que ajudam o coto a secar e cair. Assim, o ideal é fazer apenas a higiene na hora do banho.

Ventilação

A fralda pode manter a região do umbigo do bebê abafada, mas o ideal é receber ventilação, como Ivani recomenda: “é importante permitir que a área do umbigo seja ventilada, sem manter a fralda sobre ele. Recomenda-se dobrar a parte superior dela deixando o coto exposto, para que ele seque mais rápido e caia”.

Quais sinais indicam que há algo errado com o umbigo do bebê?

Como você viu, o umbigo do bebê seca e se solta de forma natural em poucos dias, sem a necessidade de adotar qualquer medida extra. Basta a atenção com a higiene e a ventilação para favorecer a cicatrização, mas mesmo assim algumas complicações podem acontecer. Veja a seguir quais são elas.

Onfalite

“É raro que um coto umbilical tenha uma infecção, mas quando isso ocorre é uma situação séria, conhecida como onfalite, que necessita de cuidados médicos imediatos”, alerta a pediatra.

“Quando o bebê desenvolve onfalite, há uma alteração na tonalidade da pele na base do coto. Ela fica avermelhada e há saída de secreção purulenta seguida de odor ruim. O bebê pode ter febre, prostração e chorar quando tocamos o coto ou uma região próxima a ele”, acrescenta a especialista.

Sangramento excessivo

Como se trata de uma área em processo de cicatrização, pode acontecer de o coto liberar um pouco de sangue em sua base, mas é uma quantidade muito pequena. Também pode haver sangramento logo após o coto cair e nos dias que se seguem, porque a pele está cicatrizando.

Ao perceber que esse sangramento é mais abundante, é preciso buscar a ajuda do pediatra. Ela é necessária quando a mancha tiver mais do que 5 cm e se o sangramento não for interrompido após 10 minutos fazendo compressão no local.

Atraso na cicatrização do coto

Como explicamos, geralmente o coto se solta em cerca de 15 dias. É preciso ter atenção quando esse tempo médio se estende muito, atrasando mais do que 3 semanas. Se isso ocorrer, a criança deve passar pela consulta com o pediatra para descartar a possibilidade de uma infecção.

No caso da permanência do coto por mais de dois meses, é preciso fazer uma investigação ainda mais minuciosa, com o objetivo de descartar possíveis problemas do sistema imunológico da criança.

Hérnia umbilical

A hérnia umbilical se caracteriza por uma pequena falha na parede muscular da região abdominal, formando um orifício que permite a passagem de tecidos por esse pequeno espaço. Isso forma um caroço na região do abdômen quando há um aumento da pressão intra-abdominal, como quando o recém-nascido ou a criança chora, tosse ou espirra.

Depois que o umbigo do bebê se soltar, se os pais perceberem a formação da hérnia, o ideal é acompanhar a evolução dela tendo o suporte de um pediatra. Esse não é um problema sério e costuma se resolver sozinho entre os 12 e 18 meses de vida do bebê.

Entretanto, a hérnia umbilical pode ser persistente. “Nos casos raros em que a hérnia não regride até os três a cinco anos de idade, pode ser necessária uma cirurgia, situação que deve ser discutida com o pediatra”, esclarece a especialista.

Os cuidados com o umbigo do bebê não são difíceis, bastando manter a boa higiene, a ventilação e observar se o coto está secando e se soltando aos poucos. Caso perceba qualquer alteração ou tenha dúvidas, sempre consulte o pediatra.

Agora que você descobriu como cuidar do umbigo do bebê, que tal aprender sobre amamentação? Confira tudo que você precisa saber sobre ela e sua importância!

Posts relacionados

Deixe um comentário